Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 23 de maio de 2018

ÉVORA - FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA



Sketch Tour Portugal Trails

Já está online o video dos trails:
https://www.youtube.com/watch?v=lYTeAJ5WJ-g

A angustia existencial do antropólogo

Conversa com Manuel João Ramos (em primeiro plano) sobre Desenho e Antropologia na Ondular Atelier, à Graça. No dia 29 é a vez da Daniela Rodrigues (à direita no desenho), também ela antropóloga.


XIII Festival Internacional da Máscara Ibérica - parte II

Os animadores do "Entroido de Semede" da Coruña, Espanha, estavam a animar a zona onde se faziam ensaios para os concertos a acontecer na sexta feira ao final do dia, e acabei por fazer um registo meio desastrado das personagens, isto porque o material caia por todo o lado, já tinha pessoas a segurar o estojo e a apanhar canetas... isto não vai resultar assim :p. Depois fui-me sentar mais sossegada no stand de Valongo para conhecer as suas personagens, que são das comemorações do São João.




Paço de Arcos


Casas ao lado do Palácio dos Arcos.

terça-feira, 22 de maio de 2018

XIII Festival Internacional da Máscara Ibérica - parte I

Este ano regressei aos jardins da praça do Império, em Belém para registar as atividades do FIMI. Estive durante o dia 18 e 19 e este ano os desenhos acabaram por ser um bocadinho diferentes pois não fui com a mesma energia, por isso no primeiro dia dediquei-me a coisas mais estáticas em vez de percorrer o recinto atrás dos animadores.

Parei no stand do Sr. António Alves, que desde que se reformou dedica-se a fazer os caretos tradicionais das festas dos rapazes da aldeia de Varge, no distrito de Bragança. São máscaras fantásticas que resultam do seu imaginário, todas diferentes e originais! As mais bonitas são em madeira, de pedaços de troncos com raízes e ramos que se transformam em cornos, cobras e deformações que as fazem assustadoras! As mais requisitadas pelos foliões são de chapa pois são mais leves para usar, mas também as há de cortiça e de "escrinho", feita em palha de centeio e de silva (mais escura). Esta última da aldeia de Baçal, arte que agora perpetua depois da única pessoa que as fazia ter falecido.
É dos poucos artesãos que se dedica a perpetuar esta arte, que como sempre fica ameaçada se ninguém por ela se apaixonar :)




Festival Internacional da Máscara Ibérica 2018

Fui ao FIMI na passada sexta feira e no tempo que consegui lá ficar, foram estes os desenhos que saíram.
É realmente um evento mt mt desenhável. Tive pena de não conseguir regressar noutros dias. Fica mais para o ano.

 

Praia da Poça Estoril

Praia da Poça - Estoril


Vamos desenhar com... Isa Silva






Ponte de Lima, à noite


Encontro Fundação Eugénio de Almeida_Évora






Paço de Arcos

Em tarde soalheira, fomos desenhar no Centro Histórico de Paço de Arcos. Desta vez nas traseiras do restaurante "Os Arcos", que dá para a Marginal. Este é um dos prédios velhos ao lado.


segunda-feira, 21 de maio de 2018

MoSk a desenhar Clássicos III

Decorreu no fim de semana passado o VI Encontro de Automóveis Clássicos/Antigos de Montemor-o-Velho e com animado encontro os desenhos não poderiam faltar. Com tantos clássicos não deu para desenhar todos  mas o mais desenhado foi o Ford Anglia. Foi uma tarde bem passada na companhia dos sketchers de Coimbra, Leiria e de Abrantes a desenhar. Mais fotos aqui no grupo MoSk.

 Foto de grupo claro!

 Desenho de Susana Ferreira

Desenho de Pedro Messana

 Desenho de Carlos

 Desenho de Marco Moura

 Desenho de Ismael

 Desenho de Elsa

 Desenho de Jorge Antunes

A dar descanso às Poscas e ao papel kraft



Memórias do Bairro Alto (às 5 da manhã)


Na Graça: Conversando entre Antropologia e Desenho



Concerto em Elvas

Uma trombeta, um percussionista, um maravilhoso órgão histórico no coro da Igreja Matriz de Elvas, um problema, uma solução expedita: virar todos os bancos para trás.
E assim se fez mais um fantástico concerto do Festival TERRAS SEM SOMBRA2018 https://festivalterrassemsombra.org/ .
E na apresentação feita pelo Prior ainda ouvimos aquela oportuna quadra alentejana:
Alentejo não tem sombra
Senão a que vem do céu
Senta-te aqui amor
à sombra do meu chapéu.

ÉVORA - FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA