Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Da série só a linha, caneta fina, em 6 minutos

Av. Madrid. Lisboa

Rua Maria Helena Vieira da Silva. Lisboa

Colégio S.José. Ramalhão. Sintra

Hospital Sta Maria

À espera (por motivos profissionais), no Hospital de Sta Maria.

DESENHAR POR DESENHAR - Fevereiro

O Desenhar por Desenhar de Fevereiro tem que ser agendado para o segundo domingo do mês, ou seja, dia 11 de Fevereiro.
Desta vez vamos encontrar-nos às 15 horas na Estação Fluvial de Belém. 
Construído em 1936 este edifício tem, à esquerda, o Museu da Electricidade- antiga Central Tejo- e, à direita, a Doca de Belém.
Embora todas as horas  partam dali ferry-boats para Porto Brandão e Trafaria, esta estação fluvial tem uma calma contagiante que convida ao desenho pelo desenho, em grupo, como tanto gostamos de fazer!


Um sketch como sobremesa

Não tem sido fácil arranjar tempo para desenhar sem ser nos transportes, por isso decidi que de vez em quando vou aproveitar a hora de almoço para rabiscar. Aqui fica um prédio feio ali na Praça de Londres


O almoço...

...na taberna da "Casa do Alentejo".

São Miguel-O-Anjo

Situada originalmente noutro local, esta discreta capela, que tem no seu interior um retábulo atribuído ao mestre do rococó André Soares, foi reedificada em finais do séc. XIX neste que era então um pitoresco arrabalde próximo da estação de Braga. Hoje, parece clamar por nova mudança...
Como curiosidade, era logo mais acima que se situava a estação de recolha da pequena rede de eléctricos que serviu a capital do Minho até 1963. O edifício, já um tanto alterado, resistiu até ao início dos anos noventa, tendo então cedido o lugar ao prédio que se vê ao fundo.

Fim de ano na estação


Não foi a estação de S. Bento que desenhei no dia 30 de Dezembro, mas o que se vê a partir dos degraus dela: a Sé do Porto à esquerda e a Rua Mouzinho da Silveira a descer em direcção ao rio. E o sol quase a pôr-se pelas cinco da trade, tão perto que estávamos do solstício de Inverno:


É um dos sítios mais típicos, rudes e barulhentos do Porto e uma bela forma de fechar o ano, sobretudo na excelente companhia dos PoSk (Porto Sketchers). Fotografia da aguarela posterior e do animado grupo AQUI.

O desenhador de jardins

A visita do Peter Richards na semana passada recordou-me de um outro desenhador-viajante do continente no outro lado do Planeta, que tivemos a honra de receber, durante o verão. O Richard Aitken - que tem a profissão invulgar de historiador de jardins - passou algumas semanas a viajar por Portugal. O seu campo de investigação leva-o a visitar jardins públicos e privados, em cidades, palácios e palacetes, em busca de alguma espécie particular, ou de uma combinação pouco comum de flora que os nossos antepassados decidiram justapor, a bem da beleza.


Durante a nossa hora do almoço, o Pedro Alves e eu, inadvertidamente, levámos o especialista em jardis a uma das partes menos ajardinadas de Lisboa - a densa colina do Castelo - para um desenho do alto.

Publicado também AQUI

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

ICBAS


Museu de Anatomia Prof. Nuno Grande, Icbas, Porto

Palácio Foz




Palácio Foz - Abadia.

Palácio Foz - 27Jan2018

Estes foram os desenhos possíveis durante a visita ao Palácio Foz. 15 minutos em 4 locais e 30 minutos na Abadia (que foi onde gostei mais de desenhar) :-)

Abadia

Pormenor do Sala dos Espelhos

Um pouco da escadaria Nobre


Janela na Sala de Jantar

Peter Richards em Lisboa

Há cerca de uma semana, Peter Richards de Brisbane chegou a Lisboa com baterias carregadas para desenhar com os USkP, visitando toda a cidade com o seu caderno e lápis em punho. Depois de uma presença surpresa no Encontro de Campo de Ourique, foi a vez de ele se juntar a nós, os Pedros (Alves e Loureiro). Fomos para o local onde levamos todas as nossas vítima... perdão, visitas, ao Largo dos Trigueiros para nos depararmos com um café fechado e assim sendo andámos em frente para a alternativa mais complicada de desenhar, as Escadinhas de São Cristovão. Foi mais conversa que desenho, onde ficamos a conhecer melhor este arquitecto Australiano, um expert no que toca à comunicação pelo desenho. Por nós ficaríamos ali a tarde toda, mas foi impossível... Uma hora de almoço muito bem passada.

Palácio Foz

Obrigada Isa por esta pérola!

Lyon, Brisbane e Lisboa

Foi uma daquelas semanas em que Lisboa se torna um pólo para desenhadores de todo o mundo.



Primeiro, o Emmanuel Prost pernoitou no nosso sofá na viagem entre Lyon e o Brasil, e pudemos espreitar os seus incríveis desenhos publicados num par de livros - um sobre a Caritas em Paris, outro, um livro de receitas de mulheres de todo o mundo, residentes em Lyon, para a Associação VRAC.



No dia seguinte, o Pedro Alves e eu desenhámos juntos com o Peter Richards de Brisbane, que passava a semana em Lisboa. Aproveitámos a maior parte da hora do almoço a conhecer este arquitecto veterano que, recentemente, deu nova vida à sua actividade de desenhador.

Publicado também AQUI.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Desenhar com os Manos Reis

O ano de 2018 do Vamos de desenhar com... abriu com chave de ouro. O Tomás e a Matilde presentearam-nos com uma sessão interessantíssima onde se percebeu a cumplicidade entre os dois manos e como isso influência o desenho que cada um faz.



O Tomás propôs uma viagem pela linha e pela mancha como forma de "lermos" a arquitetura que nos rodeia.
Ainda tive tempo de experimentar uns lápis fantásticos aguareláveis da Sofia. Adorei os lápis mas enquanto desenhava a igreja virei a caixa e tive de andar a apanhar lápis pela Calçada do Sacramento.
Comigo tem de estar tudo preso.

A Matilde levou-nos até ao mundo da Epigrafia e da tipografia. Eu gostei particularmente de colecionar Epigrafias.

E já no fim do dia descobri este escrito na fachada que dá entrada para o Museu do Carmo:

A Rita explicou-me que em tempos existiu ali uma cruz. Na parede estava escrito que quem tocasse na cruz tinha 40 anos de perdão. Mas a cruz, sabe-se lá porquê, desapareceu.
Bolas cheguei tarde!!!




1000

Hoje faço o meu 1000º post no blog USkP. Será que isso faz de mim um autor prolixo?
Quis comparar com as estantes mas ainda tenho muito mais livros do que post... Em todo o caso vou na peugada da minha Amiga HFM.

Termas dos Cucos, Torres Vedras



Jardim do Torel


O DESENHO DE HOJE


9 horas da manhã. No terreiro do Paço em Vila Viçosa, de costas para o Palácio, virado para os altos contrastes no casario.

São Pedro de Sintra

Lanche em São Pedro de Sintra, no café da Natália, durante o mesmo, desenho, para ficar o registo, deste sítio pecaminoso.

Intervalos para almoço

Conseguimos resgatar a "nossa" parte da esplanada que tinha sido tomada de assalto pelo Irish & Co. do Largo Duques de Cadaval. A quantidade de chapéus de esplanada neste local é de tal forma que na parte onde nos costumávamos sentar, torna impossível qualquer vislumbre do sol, que durante o Verão ainda se tolera, mas de Inverno, bem que sabe tomar o nosso café banhados de raios UV em quantidades saudáveis.


Há vários motivos para desenhar na parte de baixo da esplanada, especialmente porque temos uma amplitude de campo bem maior e os ditos chapéus de sol não bloqueiam a vista...


...e desta forma consegui vislumbrar uma vez mais o recorte dos telhados e águas furtadas , confortavelmente sentado numa cadeira, com os pés na guarda em frente e café na mesa, à esquerda. Apesar do frio, o Sol é tão intenso que as tonalidades quentes da cidade de Lisboa são uma constante, mesmo sem estarmos no calor tórrido de Verão.

Mais desenhos aqui: intervalosalmoco.blogspot.co.uk/2018/01/intervalos-para-almoco

Palácio Foz




Feito no sábado no encontro no Palácio Foz. Tivemos 15m para fazer cada um destes dois desenhos. O tempo era pouquíssimo e, deixei-os tal como os fiz lá. Poderia ter retocado mas, por vezes, gosto de deixar que se perceba a frescura do traço, mesmo que este tenha erros.

Casa de Sta Maria Cascais

Lembram-se do magnífico encontro ao sol na Casa de Sta Maria em Cascais? Deste dia e dos 4 workshops em parceria com os USk que decorreram neste espaço irá resultar uma exposição com os desenhos e fotografias que se fizeram durante estes encontros. Os trabalhos serão projectados numa tela de grande formato e os cadernos originais expostos em vitrines fechadas. Para quem se disponibilizar os cadernos devem ser identificados e entregues na Casa de Sta Maria até dia 18 DE FEVEREIRO. Conto com a vossa participação e presença na inauguração que será na Casa de Sta Maria em Cascais dia 2 de Março às 18h00.

João Catarino: reflexos mais sobreposições...e acabou

Acabou no sábado o curso de Urban Sketching dado pelo João Catarino no Parque das Nações: fazer sobressair os negativos (as manchas) da paisagem, as sombras, os reflexos, sobrepor cenários...tudo foi explorado em apenas 4 manhãs de um rigoroso Janeiro. Missão muito bem cumprida!

Adiciono os meus resultados da última sessão e ainda uma foto de sketchers apanhados a trabalhar ;-)

1º  Reflexos 


2º Sobreposição de cenários (um só c pessoas e outro só de paisagem em locais distintos)


3º Apanhados(as) no período de contemplação que precede qualquer sketch:



Encontro no Palácio Foz - 27 de Janeiro 2018 - As fotos

Obrigada a todos que estiveram presentes no encontro no lindíssimo Palácio Foz.
Foi pouco tempo para tanto que gostaríamos de desenhar mas conseguimos rabiscar muito :-)






Parque das Nações

20 anos depois a expo continua viva, talvez porque se tornou um lugar também para viver, mesmo que isso continue a parecer um pouco artificial.

Encontros com o Património - TSF - 27 de Janeiro 2018 - Urban Sketchers



Avisaram-me que falaram de nós na TSF :-)


Noivos, noivas e pais das noivas


Há algumas semanas, a Teresa, o António e eu fomos à Exponoivos, a feira anual da indústria dos casamentos em Lisboa, para promover o nosso projecto The Wedding Sketchers. Não havia muito tempo para desenhar, já que o tempo de cara-a-cara com potenciais parceiros de negócios era o objectivo fulcral. Mas, ao fundo da feira, havia uma passerelle com desfiles de moda onde diversas marcas mostravam as suas colecções aos noivos. A isso, não resistimos!


Podem conhecer o resto da história e dos desenhos AQUI.

domingo, 28 de janeiro de 2018

Ler Devagar

Hoje foi dia de modelo na Ler Devagar.
Não é propriamente urban sketching mas é um acontecimento onde se encontram vários sketchers e, tendo tantos modelos, porquê desenhar apenas um...

Vamos desenhar com os manos




Ontem encontrámo-nos no Carmo, na primeira sessão de Vamos desenhar com… deste ano. Ano novo, sketches novos, e tudo seria diferente. Para começar, o percurso seria sempre fora das paredes do Museu Arqueológico do Carmo, e a vontade de desenhar era grande. Alguns sketchers vinham do Palácio Foz e já tinham feito lindos desenhos da escadaria sumptuosa e das profundezas da abadia.

Fizemos um folheto que deixamos aqui.
A apresentação também pode ser consultada aqui.



Levámos o percurso de desenho a votação na plateia e fizemo-nos à calçada: desenharíamos as escadas da igreja do Sacramento, logo ali ao virar da esquina. No final, os desenhos cobriam uma mesa, e não faltavam estilos diferentes. Apenas o gosto pelo desenho nos unia, e isso bastava.

Esta tarde foi só o começo de um grande ciclo que se avizinha: no próximo mês, no dia 24, será a vez de Desenhar com Ana e Mário Crispim. Vai ser imperdível!